quarta-feira, 8 de junho de 2016

Ramacrisna oferece cursos gratuitos de Mecânica de Automóveis e Soldagem

A Instituição Social Ramacrisna, localizada em Betim, está com inscrições abertas para o processo seletivo dos cursos profissionalizantes de Mecânica de Automóveis e Soldagem. Os dois cursos profissionalizantes são gratuitos e têm por objetivo promover a qualificação profissional nestas áreas, oferecendo também, material didático, uniforme e lanche. As inscrições também são gratuitas e podem ser feitas pelo site www.ramacrisna.org.br.
O curso de Mecânica de Automóveis recebe inscrições até 12 de julho. Com carga horária de 400 horas/aula, o curso tem início no dia 18 de julho e término em 15 de dezembro, com aulas das 13h às 17h e de 18h às 22h. Para participar é necessário ter a partir de 16 anos e Ensino Fundamental completo. O processo seletivo acontecerá no dia 13 de julho às 8h ou às 13h na Ramacrisna.



Já o curso de Soldagem recebe inscrições até 15 de julho. Com carga horária de 320 horas/aula, o curso tem início no dia 25 de julho e término em 18 de novembro, com aulas das 8h às 12h e de 13h às 17h. Para participar é necessário ter entre 18 e 30 anos e Ensino Fundamental completo. O processo seletivo acontecerá no dia 18 de julho às 8h ou às 13h na Ramacrisna.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Orquestra Jovem Ramacrisna se apresenta no Museu de Ciências Naturais da PUC Minas, no dia 05 de junho, às 11h

Com um repertório que vai da música clássica “Eleanor Rigby”, “O sole mio”, à MPB, “Asa Branca”, “Eu só quero um xodó”, “Maria Maria”, dentre outras, a Orquestra Jovem Ramacrisna, irá se apresentar no dia 05 de junho, às 11h, no Museu de Ciências Naturais da PUC Minas. O evento, aberto ao público, faz parte do projeto Concertos Dominicais Peter Lund, uma iniciativa da PUC Minas, com apoio do Ministério da Cultura e da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração.
Sob a Regência do Maestro Eliseu Barros, em junho de 2005 a Ramacrisna criou a Orquestra Jovem com o objetivo de trazer para a realidade das crianças e jovens, em situação de risco pessoal e social da comunidade de Vianópolis, em Betim, com idades entre 9 e 25 anos a beleza do universo da música clássica. Com o projeto, 73 músicos frequentam aulas de teoria musical e prática em instrumentos de cordas e sopro.  Os renomados professores da família Barros, ministram aulas por naipes: Alexandre (sopro), Elias (violino) e Wiliam (teoria musical, baixo, violoncelo) acompanham o Maestro Eliseu na missão de promover o desenvolvimento musical desses talentosos músicos.



Sobre a Ramacrisna
Criada pelo jornalista paraibano Arlindo Corrêa da Silva, a Ramacrisna desenvolve, há 57 anos, projetos culturais, educacionais, profissionalizantes, de lazer, entre outros, voltados para comunidade em situação de vulnerabilidade social de Betim e 8 cidades do entorno. O nome da instituição é em homenagem ao filósofo indiano Sri Ramakrishna, ecumenista que viveu no século 19 e pregava o trabalho social como forma de transformação do ser humano. Ela se tornou conhecida em todo o Brasil como instituição do Terceiro Setor referência em projetos de autossustentabilidade por possuir uma Fábrica de Telas de Arame. O lucro obtido com as vendas é destinado ao setor social da Ramacrisna, garantindo mais autonomia e uniformidade no atendimento às pessoas amparadas pelos projetos. Visando potencializar as estratégias de gestão da instituição, em 2008, uniu-se a FDC – Fundação Dom Cabral, que está entre as melhores escolas de negócios do mundo pelo ranking da Financial Times. A Ramacrisna ainda coleciona, desde sua fundação, diversas premiações renomadas, como o Prêmio Mineiro de Excelência da Gestão das Entidades do Terceiro Setor, promovido pela SEPLAG – Secretaria de Planejamento e Gestão de MG e o 1º lugar do Prêmio Objetivos de Desenvolvimento do Milênio – Educação de Qualidade para todos, do Governo de Minas. Somente em 2015, a instituição atendeu 146.418 pessoas em sua sede e em parceria com o Poder Público.

terça-feira, 17 de maio de 2016

Vice-presidente da Instituição Ramacrisna participa do “Ciclo de Fomento 2016”

No dia 25 de maio, às 14h, na Associação do Ministério Público, a vice-presidente da Instituição Ramacrisna, Solange Bottaro, participa do “Ciclo de Fomento 2016”. Com o tema “Pequenos recursos, grandes negócios”, Solange vai apresentar o case sobre a unidade produtiva da Instituição, a Fábrica de Telas de Arame Ramacrisna, que tornou a Organização conhecida como instituição do Terceiro Setor referência em projetos de autossustentabilidade.
Essa proposta inovadora do fundador da organização, Arlindo Corrêa da Silva, teve início na década de 1970. Todo lucro obtido pela venda de telas, cercas e alambrados, desde sua criação, foi sempre destinado ao setor social da Ramacrisna. Este é um diferencial importante da Instituição, ter uma unidade fabril com o objetivo de dar sustentabilidade às atividades sociais desenvolvidas. A receita constante da Indústria de Telas garante mais uniformidade e uma qualidade melhor no nível de atendimento as pessoas amparadas pela instituição social. Poucas são as instituições no país que utilizam este recurso, tornando a Ramacrisna uma referência no Brasil e no mundo em autossustentabilidade.
Para Solange Bottaro é importante manter a diversificação das fontes de recursos, pois assim proporciona à instituição uma atuação continuada, sem perda da qualidade dos serviços oferecidos à comunidade. “Através da geração de recursos próprios as Organizações Sociais passam a atuar com mais autonomia, mantendo a continuidade e qualidade das atividades sociais oferecidas aos diferentes públicos em situação de vulnerabilidade social”, explica.
As Telas Ramacrisna têm como mercado além de Minas Gerais, todos os estados do Brasil e utiliza matéria prima da Belgo Bekaert, sinônimo de qualidade. Com equipamentos automatizados, modernos e altamente eficientes, produz com excelência a entrega com rapidez e pontualidade as telas produzidas. Cercas para alambrado de campos esportivos, canis, indústrias, sítios e fazendas, telas específicas para piscicultura e avicultura, e telas revestidas em PVC em cores, são alguns dos produtos ofertados. A Fábrica de Telas Ramacrisna tem ampliado suas ações, através de um Plano de Negócios desenvolvido pela Fundação Dom Cabral, dentro do Projeto POS – Parceria com Organizações Sociais da FDC.
O Ciclo de Fomento, uma realização do Ministério Público de Minas Gerais por meio do Centro de Apoio ao Terceiro Setor, juntamente com o Centro Mineiro de Aliança Intersetoriais – CeMAIS e Tomáz de Aquino Costa Vilar Sociedade de Advogados, é um instrumento de organização da sociedade, que busca, por meio do diálogo e envolvimento dos diversos setores, coordenar esforços para alcançar objetivos comuns.

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Ramacrisna abre inscrições para o curso de Descaracterização e Triagem de Resíduos de Eletroeletrônicos

Milhões de celulares, computadores, televisores e vários aparelhos eletrônicos são adquiridos por ano. No mesmo ritmo, outros tantos equipamentos do gênero são descartados. Segundo levantamento realizado, em 2009, pelo Swiss Federal Laboratories for Materials Testing and Research – Empa, em parceria com a Fundação Estadual do Meio Ambiente – Feam, estima-se que até 2020 serão geradas 625 mil toneladas de resíduos provenientes de telefones celulares e fixo, televisores, computadores, rádios, entre outros, apenas na região metropolitana de Belo Horizonte.

Visando criar possibilidades para a criação de negócios sustentáveis pautados na gestão deste tipo de resíduo e ao mesmo tempo reduzir o impacto no meio ambiente, a Ramacrisna em parceria com a CDI Minas Gerais estão com inscrições abertas para o curso Descaracterização e Triagem de Resíduos Eletroeletrônicos. O curso, focado principalmente em resíduos de computadores, irá capacitar o público a trabalhar de forma adequada com os Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrônicos - REEEs, equipamentos obsoletos e submetidos ao descarte, incluindo todos os componentes, subconjuntos e materiais consumíveis necessários ao seu funcionamento, como fios, cabos, mouse, impressoras, teclados, estabilizadores, entre outros.

O curso é gratuito e tem duração de 24 horas/aula, começa no dia 6 e termina no dia 15 de junho, com aulas pela manhã de 9h às 12h e tarde das 13h15 às 16h15. Os participantes receberão material didático e auxílio transporte.

Para participar é necessário ter no mínimo 18 anos e ensino fundamental completo. As inscrições podem ser feitas no site da Ramacrisna, até o dia 31 de maio. O processo seletivo será realizado no dia 1º de junho, na Ramacrisna e inclui prova e entrevista.


segunda-feira, 18 de abril de 2016

Ramacrisna realiza bate-papo com a escritora Lavínia Rocha

Evento acontece em comemoração ao Dia Nacional do Livro Infantil e ao Dia Mundial do Livro

A Ramacrisna, que há 57 anos atua em Betim e 8 cidades do entorno, comemora neste mês de abril duas importantes datas para os apaixonados por literatura, o “Dia Nacional do Livro Infantil” (18/04) e o “Dia Mundial do Livro” (23/04). No dia 29 de abril a Ramacrisna vai receber a jovem escritora Lavínia Rocha para um bate papo. Nascida em Belo Horizonte, em 1997, Lavínia publicou seu primeiro livro, “Um amor em Barcelona, em 2010. Em 2014, ano em que concluiu o ensino médio, publicou a obra “De olhos fechados”. Criou “Entre três mundos” quando tinha doze anos e reescreveu aos dezessete.  
No Dia Nacional da Literatura Infantil, 18 de abril, será dia de receber presente na Ramacrisna. Marcando a importância da leitura para o público infanto-juvenil, a Ramacrisna irá doar um kit com 6 livros, da Editora Paulos, para os alunos do (CAER), atualmente 312 crianças e adolescentes, com idade entre 6 e 15 anos. O amor ao mundo da literatura e dos livros não é assunto novo para a Ramacrisna. Mesmo com as diversas redes sociais, que ocupam o tempo e a mente do público jovem, e com a possibilidade de ler através de meios eletrônicos, a Instituição oferece, através de espaços próprios e projetos, o contato com o mundo mágico dos livros.
A Instituição oferece, na Biblioteca Prof. Arlindo Corrêa da Silva, um acervo com mais de 5.000 livros destinados a literatura infantil, infanto-juvenil e adulto. A biblioteca, que leva o nome do fundador da Instituição, atende todos os alunos matriculados na Ramacrisna, além de funcionários e toda a comunidade do entorno. De acordo com a coordenadora da biblioteca da Ramacrisna, Cleide Aparecida Moura, cerca de 480 pessoas entre alunos e comunidade, frequentam diariamente a biblioteca. Em 2015 mais de 4 mil pessoas fizeram empréstimos de livros. “Fico orgulhosa e feliz em saber que as crianças e os jovens valorizam a leitura”, ressalta.
Em 2015 a biblioteca da Ramacrisna foi inteiramente renovada, por meio de edital da Fundação Biblioteca Nacional, ligada ao Ministério da Cultura e ao Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas. A instituição teve seu projeto selecionado e patrocinado, se tornando a primeira biblioteca sustentável em uma zona rural, todo seu mobiliário foi feito a partir do reaproveitamento de pallet de madeira, garantindo um ambiente mais agradável aos frequentadores do espaço. Além disso, todo o espaço foi customizado pelas crianças, jovens e mulheres da Cooperativa Futurarte. A biblioteca da Ramacrisna também atua fora de suas paredes, através de projetos como “Mala de Leitura” e “Sexta Literária”.
Isabelle Oliveira, aluna do CAER de 8 anos, não tem medo de fantasmas e nem de livros grandes. “Eu adoro quando é dia de ir pra Biblioteca, adoro ler! Eu estou lendo um livro que é muito legal, se chama O Fantasma de Canterville, mas eu não tenho medo. Ele é tão grande que eu tive que pedir a professora pra marcar a página para eu poder continuar lendo nas próximas aulas”.
Já Caroline Silva, aprendiz de 17 anos, a leitura é um momento de descontração e relaxamento, além de ser um hábito diário. “Comecei a frequentar a biblioteca uma vez por semana quando vinha fazer aula teórica na instituição, agora que estou na carga horária final eu venho para Ramacrisna todos os dias e vou à biblioteca todos os dias. Gosto de ler nem que sejam 5 minutos por dia. A leitura me traz paz, eu consigo mergulhar em um ambiente totalmente diferente do nosso, um mundo novo. O livro tem tantos detalhes que a gente consegue imaginar completamente todo o ambiente, a gente se coloca no lugar do personagem, fica feliz, triste e sofre junto com eles. É o meu momento de relaxar, esquecer um pouco o estudo e o trabalho e mergulhar no universo daquela história”.

Serviço
Bate papo com a escritora Lavínia Rocha
Dia: 29 de abril, sexta-feira
Hora: 14h
Local: Centro Cultural Ramacrisna
Endereço: Rua Mestre Ramacrisna, 379 - Santo Afonso - Betim
Telefone: (31) 3438-5500

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Ramacrisna recebe “Coppélia”- Espetáculo do grupo de dança Clícia Lizzí

Aberto ao público, a apresentação acontece no dia 08 de abril, às 13h30, em Betim

No dia 08 de abril, sexta-feira, às 13h30, a Ramacrisna recebe em sua sede, em Betim, o grupo de dança Clícia Lizzí, que apresentará gratuitamente ao público, o espetáculo de dança “Coppélia”. O ballet conta a história de Dr. Coppélius um velho que construía brinquedos e que um dia construiu uma boneca tão perfeita, que parecia humana. Um rapaz, se apaixona por Coppélia sem desconfiar que se trata de uma boneca, porém o jovem estava de casamento marcado e sua noiva ao descobrir do flerte dele, invade a casa e descobre que ela é uma boneca. Ele também invade a casa para declarar seu amor à Coppélia, mas é descoberto e o velho, tem a ideia de usar magia para transferir a vida do rapaz para Coppélia. A noiva deste que estava escondida dentro de armário, finge ganhar vida no lugar de Coppélia, enganando o velho. Depois de se divertir à custa do velho, ela revela a verdade e escapa com o noivo. Este lhe pede perdão e os dois se casam com uma grande comemoração na vila.


Serviço
“Coppélia”- Espetáculo do grupo de dança Clícia Lizzí
Dia: 08 de abril, sexta-feira
Hora: 13h30
Local: Centro Cultural Ramacrisna
Endereço: Rua Mestre Ramacrisna, 379 - Santo Afonso - Betim
Telefone: (31) 3438-5500
Espetáculo: Coppélia
Direção/produção: Clícia Lizzí
Readaptação coreográfica: Christiano Castro
Cenário: Marcos Silva
Figurino: Virginia Gonçalves Sant'Anna
Música original: Léo Delibes

quinta-feira, 24 de março de 2016

Ramacrisna em parceria com o CREA Cultural e a Federação Mineira de Xadrez desenvolvem o projeto “Xadrez Solidário”

A Instituição Ramacrisna oferece mais uma Oficina para os seus alunos.  Em parceria com o CREA Cultural e a Federação Mineira de Xadrez, desenvolveram o projeto “Xadrez Solidário”. Lançado dia 23 de março, o projeto irá beneficiar duas turmas de 25 alunos cada, que já fazem parte do Centro de Apoio Educacional Ramacrisna (CAER). O “Xadrez Solidário” será mais uma oficina agregada ao CAER e, objetiva introduzir o ensino de xadrez em comunidades de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, com realização de campeonatos e competições.

O CREA Cultural, ao propor o projeto “Xadrez Solidário” tem a convicção de que ele poderá ampliar nos participantes desejos de progresso que poderão ajudá-los em uma efetiva integração social e fazer deles cidadãos mais participativos da nossa sociedade.

O jogo de xadrez é um esporte de forte viés cultural e desenvolvimento pessoal, pois desenvolvimento nas pessoas que o praticam a capacidade de raciocínio, o controle emocional, a concentração para análise de problemas e a persistência no planejamento, como atestam diversos estudos de especialistas.

Solange Bottaro, vice presidente, Éderson Bustamante, presidente do CREA Cultural e Luciane Sepúlveda, presidente da Federação Mineira De Xadrez.
Sobre o CREA Cultural
A Associação Cultural dos Profissionais do CREA-MG, também designada Crea Cultural, constituída em 16 de setembro de 2008, é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins econômicos, com sede no município de Belo Horizonte que tem por finalidade promover de moto próprio ou em parcerias com organizações da sociedade civil, eventos e projetos para a promoção da cultura, do conhecimento científico, da defesa e conservação do patrimônio histórico e artístico no Estado de Minas Gerais para usufruto não apenas de seus associados, mas de toda a sociedade em seu entorno.

Sobre o CAER
Um dos valores máximos que levaram o fundador da Ramacrisna a iniciar sua obra meritória foi acreditar que somente através da educação é possível mudar um país. Por meio do CAER – Centro de Apoio Educacional Ramacrisna, ofertamos às crianças uma educação de qualidade, ampliando seus horizontes, abrindo-lhes as portas de um mundo mais igualitário e justo, através da participação em diversas oficinas. Desenvolvida por uma equipe multidisciplinar de professores habilitados, cedidos pela Secretaria de Educação de Betim e instrutores da Ramacrisna, as oficinas são realizadas em período complementar às aulas ministradas na escola pública. As crianças recebem almoço e lanche diariamente, inclusive nas férias, além de material escolar e vestuário, como incentivo à família para mantê-las frequentes na escola. Com isso, reduziram-se significativamente a evasão escolar e o trabalho infantil, práticas comuns na região e houve aumento do nível de escolaridade das crianças e dos adolescentes. Para reforçar esse preceito, as crianças só podem participar das atividades na Ramacrisna se estiverem matriculadas e frequentes em escola pública.